Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Itabaiana > Alunos constroem Drone e participam da maior competição brasileira de asas rotativas
Início do conteúdo da página
ELETRÔNICA

Alunos constroem Drone e participam da maior competição brasileira de asas rotativas

Escrito por GERALDO BULHOES BITTENCOURT FILHO | Publicado: Sexta, 21 de Setembro de 2018, 11h07

2Única equipe de Sergipe, a FalcomP1 foi composta por 7 alunos do curso subsequente em Manutenção e Suporte em Informática, os quais precisaram cumprir todas as etapas do processo de construção de um veículo aéreo não-tripulado

Cada vez mais popularizados na sociedade, os veículos aéreos não-tripulados, também chamados de Drones, podem ter inúmeras funções: capturar vídeos ou imagens do alto, inspecionar terrenos para evitar proliferação de endemias ou até mesmo de investigação por agentes autorizados. Após um simples exercício de futurologia, é possível imaginar ainda mais utilidades: entregar produtos em domicílio ou servir como base para construção de carros voadores. Todas essas possibilidades têm o mesmo ponto de partida científico - o domínio da utilização de sensores, circuitos elétricos e linguagem de programação. Sete alunos do Instituto Federal de Sergipe (IFS) – Campus Itabaiana mostraram que fizeram bem o dever de casa: construíram uma aeronave do zero que, entre 7 e 10 de setembro, disputou a maior competição brasileira do gênero para ensino médio, a Fórmula Drone SAE Brasil, que foi realizada neste ano em Itajubá (MG).  

3A equipe do IFS, batizada pelos estudantes de FalcomP1, foi a única representante de Sergipe na competição científica de Drones. No total, participaram vinte e dois grupos de onze estados brasileiros. O entusiasta da ideia de envolver os alunos no evento foi o docente Paulo Pereira Lima. Ele explica que, durante o processo de construção do artefato voador, pôde perceber o progresso de cada estudante no desenvolvimento das atividades. “Observei como eles atuaram durante a realização de compras pela internet, as operações bancárias, o cumprimento de cronograma de reuniões e a estruturação das atividades para a execução do projeto”, aponta o professor, que ressalta a importância da relação direta dos conteúdos das disciplinas do curso de Manutenção e Suporte em Informática com a proposta do evento.

Experiência

1O evento se desenvolve com a realização de uma competição de engenharia que tem os Drones como interesse técnico. Os veículos aéreos devem ser dotados de sistemas orientados para o cumprimento de determinadas tarefas, as quais constam em regulamento e constituem o desafio técnico do torneio. Para Geovânia dos Santos da Cruz, aluna que integrou a equipe do IFS, a participação na Fórmula Drone trouxe aprendizados novos sobre a utilização dos artefatos e representou uma fonte de conhecimento para diversas áreas. Tiago Borges Nascimento, estudante que também participou do evento, destaca as possibilidades que possivelmente se abrirão para o mercado de trabalho: “a participação ajudou bastante na área profissional em virtude do envolvimento com o trabalho em equipe e suas responsabilidades. Elevamos nossos conhecimentos para, quem sabe, um dia sermos donos de uma empresa do segmento”.

A competição Fórmula Drone SAE Brasil é uma nova iniciativa de caráter educacional que possui o apoio dos ministérios da Educação (MEC) e Cultura (Minc), por meio do CNPq e da Capes, e teve como parceiros a Prefeitura de Itajubá e a Universidade Federal de Itajubá. A iniciativa é focada em estudantes e professores do ensino profissional técnico de nível médio de todo o País. A SAE Brasil realiza ainda competições importantes e de referência nacional, como o Aerodesign, a Baja e a Demosielle. Para José Rocha Filho, diretor geral do Campus Itabaiana, a participação de alunos e docentes em um evento como a Fórmula Drone representa, entre tantas outras contribuições, a certeza de que a instituição está no caminho certo. “Fugindo das rotinas das aulas, esses discentes enfrentam desafios de construir conhecimento, colocando, de fato, a mão na massa”, avalia o diretor. 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página