Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser!
Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > IFS integra evento nacional de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis e ao HIV
Início do conteúdo da página
CONSCIENTIZAÇÃO

IFS integra evento nacional de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis e ao HIV

Criado: Terça, 07 de Dezembro de 2021, 10h40 | Publicado: Terça, 07 de Dezembro de 2021, 10h40 | Última atualização em Quinta, 09 de Dezembro de 2021, 08h09

Ação é voltada para a campanha: “Dezembro Vermelho”, em articulação com outros Institutos

Por: Monique de Sá

site dezembroO Instituto Federal de Sergipe (IFS) está participando de uma ação conjunta em parceria com outros Institutos Federais. No dia 09 de dezembro, a partir das 15h, será realizado um evento em alusão ao “Dezembro Vermelho”, mês de conscientização e combate ao vírus HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). A live será transmitida no canal oficial do YouTube do Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) – outra instituição parceira do evento.

Participarão da iniciativa, o médico e especialista em Saúde Pública, Almir Santana (palestrante); e a médica perita do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), Anna Carolina Le Campion, que atuará como mediadora da ação. A campanha está sendo realizada através de uma ação integrada a partir da criação do Comitê Nacional de Saúde e Qualidade de Vida dos Institutos Federais (UniFica).

O Comitê tem o intuito de socializar informações e saberes relevantes sobre temas ligados à saúde e à qualidade de vida no trabalho, potencializando ações, otimizando esforços e favorecendo a interação entre servidores. O UniFica foi criado a partir do Grupo de Trabalho FORGEP de Qualidade de Vida no Trabalho, que o IFS participou em parceria com outros Institutos Federais em setembro deste ano.

Ainda no âmbito do IFS, a articulação do instituto sergipano, neste evento de alcance nacional, vem ocorrendo através da Coordenação do Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor (SIASS), que se uniu aos outros Institutos Federais em prol da ação integrada de mobilização ao “Dezembro Vermelho”. Foi o IFS inclusive a instituição responsável pelo convite e articulação para participação do médico, Almir Santana, nome bastante conhecido no estado no combate e na prevenção às DSTs/Aids.

O evento faz parte de uma ação conjunta que envolve o IFS, o Ifal, o IFNMG e também: o Instituto Federal de São Paulo (IFSP), o Instituto Federal do Sul de Minas (IFSULDEMINAS), o Instituto Federal Farroupilha (IFF), o Instituto Federal Baiano (IFBaiano), o Instituto Federal da Bahia (IFBA) o Instituto Federal de Roraima (IFRR), o Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e, por fim, o Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IFSertão).

Sobre o Dezembro Vermelho e a importância de tratar o tema

O Dezembro Vermelho trata-se de uma campanha nacional, instituída por meio da Lei 13.504/2017, voltada à promoção, prevenção, assistência, proteção e promoção dos direitos humanos de pessoas portadoras de HIV/Aids e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

O médico perito do IFS, Artime Costa, explica que a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Sida/Aids) é causada pelo vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). “Ele é mais comumente transmitido durante a relação sexual sem uso de preservativo e pela troca de fluídos corporais. Outras formas de contaminação podem ocorrer durante a gravidez, no parto, em transfusões sanguíneas, transplantes de órgãos, pela amamentação e por compartilhamento de agulhas contaminadas”, ressalta o médico.

O mês de dezembro carrega a cor vermelha em referência ao laço vermelho – símbolo da solidariedade de pessoas ao redor do mundo como resposta à epidemia da Aids. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) do ano de 2020 apontam que 37,7 milhões de pessoas no mundo vivem com HIV, sendo que 16% dessas pessoas não sabem que são portadoras do vírus.

“Por isso, torna-se importante que não nos esqueçamos desta doença tão prevalente e que, através da educação e da vigilância, possamos cada vez mais torná-la menos incidente e mais controlável”, reforça Artime.

registrado em:
Fim do conteúdo da página