Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Cursos Superiores > Cursos > Superiores > Tecnologia em Saneamento Ambiental
Início do conteúdo da página

Tecnologia em Saneamento Ambiental

Escrito por Administrador | Publicado: Quarta, 30 de Novembro de 2016, 18h24 | Última atualização em Quinta, 22 de Dezembro de 2016, 11h34
 
 

 

Sobre o curso

O Curso visa a formação de profissionais para atuarem no eixo Ambiente e Saúde, mais especificamente em planejamento, gestão e operação de sistemas de Saneamento Ambiental, trabalhando as questões nos espaços urbanos e rurais, visando promover uma melhor qualidade de vida para a população, aliada a um desenvolvimento de forma racional dos recursos naturais da região e do país. Os Tecnólogos em Saneamento Ambiental são aptos a exercerem funções de planejamento, gestão, execução e monitoramento de infraestrutura sanitária com a perspectiva de conservação dos recursos geoambientais e melhoria das condições sanitárias e socioambientais.
As possibilidades de atuação do Tecnólogo em Saneamento Ambiental são:

 

 

 

 

• Planejamento, gestão e operação de sistemas de saneamento ambiental em indústrias e empresas;

• Planejamento, gestão e operação de sistemas de saneamento ambiental em órgãos governamentais e não governamentais;

• Consultoria para a elaboração de planos municipais de saneamento básico e de resíduos sólidos;

• Prestação de serviços públicos de saneamento básico, gestão de resíduos sólidos, drenagem urbana, esgotamento sanitário e abastecimento de água;

• Pós-graduação para atuação docente.


O Curso possui uma carga horária de 1.765 horas, distribuídas em 6 períodos, com duração de 03 anos. O turno de funcionamento é Noturno com 45 vagas semestrais.
A organização curricular do Curso abrange práticas curriculares de Ensino, Pesquisa e Extensão.
Podendo o aluno participar de Programa Institucional de Bolsas e Iniciação Científica – PIBIC,
Programa Institucional de Bolsas em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação – PIBITI,
Programa Institucional de Bolsas de Extensão – PIBEX e
Projetos em Parcerias com Instituições Públicas e Privadas que fomentem interlocuções com redes de conhecimento.
O quadro docente do curso é composto por 22 docentes, sendo 14%
com titulação de Especialistas, 54% com titulação de Mestres e 32% de Doutores.

Duração: 3 anos (graduação)





 
Mercado de trabalho

A história do saneamento no Brasil teve início no período colonial, a partir da chegada da família real, houve a implantação de uma infra-estrutura mínima de saneamento à população. Atualmente no Brasil existe a lei 11.445/2007 que institui diretrizes para a prestação dos serviços públicos de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos, estabeleceu também a prestação regionalizada dos serviços de saneamento básico, para possibilitar a escala racional na gestão dos resíduos sólidos e equipes técnicas permanentes e capacitadas, com isso criou um leque de oportunidades de emprego para os profissionais na área de saneamento em empresas públicas, privadas, órgãos ambientais, prefeituras e instituições de ensino . A demanda por profissionais especializados é crescente no mundo inteiro e é cada vez maior, também, o campo de atuação. O profissional de saneamento pode atuar em:

 




• Planejamento, execução e manutenção de obras de saneamento, tais como: sistemas públicos e alternativos de águas, esgotos, drenagem pluvial e sistemas de coleta e transporte de resíduos sólidos e limpeza pública.
• Gestão e controle dos programas de meio ambiente, envolvendo a educação sanitária e ambiental, o controle de degradação, legislação e licenciamento ambiental e Estudos de Impactos Ambientais (EIA/RIMA) e de Impacto de Vizinhança (EIV-RIV);
• Busca de soluções para a sustentabilidade sanitária do meio ambiente urbano e rural;
• Estudo de sistemas e supervisão de tratamento de águas, esgotamento sanitário e resíduos sólidos;
• Proposições de soluções e supervisão do tratamento de resíduos produzidos diariamente pelas indústrias, comércio e residências;
• Proposições de sistemas e supervisão da separação dos resíduos sólidos, facilitando o processo de reciclagem e reaproveitamento dos mesmos;
• Elaboração de projetos, plano e programas de Saneamento Básico e de Saneamento Ambiental.

 

Matriz curricular
Lista as disciplinas que serão ofertadas durante todo o curso.

Código da Disciplina

Disciplina

CARGA HORÁRIA

Pré-Requisitos

Hora-aula 50 min

Hora relógio

Teórica

Prática

Créditos

1º PERÍODO

TSA01

Introdução às Ciências Ambientais

54

45

40

5

3

-

TSA02

Metodologia Científica

54

45

30

15

3

-

TSA03

Fundamentos de Química Ambiental

54

45

30

15

3

-

TSA04

Introdução às Geotecnologias

72

60

30

30

4

-

TSA05

Biologia Sanitária

54

45

35

10

3

-

 

Optativa I (Matemática Básica)

54

45

35

10

3

-

TSA06

Expressão Gráfica

54

45

25

20

3

-

 

Subtotal

396

330

225

105

22

 

 

2º PERÍODO

TSA07

Análise Ambiental

54

45

35

10

3

TSA01

TSA08

Geologia Ambiental

54

45

35

10

3

TSA01

TSA09

Introdução à Topografia

54

45

30

15

3

TSA04

TSA10

Química Ambiental

54

45

35

10

3

TSA03

TSA11

Estatística

72

60

50

10

4

-

TSA12

Cálculo I

108

90

70

20

6

-

TSA13

Direito Ambiental

54

45

35

10

3

-

 

Subtotal

450

375

290

85

25

 

 

3º PERÍODO

TSA14

Análise e Controle de Águas

54

45

35

10

3

TSA10

TSA15

Licenciamento Ambiental

54

45

35

10

3

TSA07

TSA16

Geotecnia Ambiental

54

45

35

10

3

TSA09

TSA17

Hidrologia Ambiental

54

45

35

10

3

-

TSA18

Geoprocessamento

72

60

40

20

4

TSA04

TSA19

Ferramenta Computacional

36

30

10

20

2

-

TSA20

Educação Ambiental

54

45

25

20

3

-

 

Optativa II (Fundamentos de Ecologia)

54

45

30

15

3

 
 

Subtotal

432

360

245

115

24

 

 

4º PERÍODO

TSA21

Tecnologia do Tratamento de Águas

54

45

35

10

3

TSA14

TSA22

Tratamento de Efluentes

72

60

50

10

4

TSA14

TSA23

Materiais de Construção

72

60

40

20

4

-

TSA24

Drenagem Urbana

54

45

35

10

3

TSA17

TSA25

Planejamento Urbano

54

45

35

10

3

-

TSA26

Fundamentos de Saúde Pública

54

45

35

10

3

TSA05

TSA27

Saúde, Meio Ambiente e Segurança (SMS)

36

30

20

10

2

-

 

Subtotal

396

330

250

80

22

 

 

  5º PERÍODO

TSA28

Gestão de Resíduos Sólidos

90

75

55

20

5

-

TSA29

Sistema Público de Abastecimento de Água

72

60

30

30

4

TSA21

TSA30

Sistema de Coleta e Transporte de Esgoto

72

60

30

30

4

TSA22

TSA31

Gestão de Bacias Hidrográficas

54

45

35

10

3

TSA17

TSA32

Orientações Técnicas para Projetos

36

30

20

10

2

TSA21

TSA22

TSA33

Gestão Ambiental

54

45

35

10

3

TSA20

 

Optativa III (Tópicos Especiais em Saneamento)

54

45

30

15

3

 
 

Subtotal

432

360

235

125

24

 

  

6º PERÍODO

TSA34

Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

192

165

65

100

11

108 créditos

 

Subtotal

192

165

65

100

11

-

TOTAL

2298

1920

1310

610

128

-

  

Disciplinas Optativas

Disciplina

Hora aula

50 min

Hora relógio

   

Crédito

Fundamentos de Ecologia

54

45

-

-

3

Geoprocessamento II

54

45

-

-

3

Gestão de Emissões Atmosféricas

54

45

-

-

3

Inglês Instrumental

36

30

-

-

2

Espanhol Instrumental

36

30

-

-

2

Português Instrumental

36

30

-

-

2

Tópicos Especiais em Saneamento I

54

45

-

-

3

Tópicos Especiais em Sanemento II

54

45

-

-

3

Libras

54

45

-

-

3

Gestão de Projetos

54

45

-

-

3

Empreendedorismo

54

45

-

-

3

Matemática Básica

54

45

-

-

3

 

 

Infraestrutura

As intalações e equipamentos disponíveis para a Coordenadoria de Meio Ambiente - CMA, são variados. Deve-se destacar os laboratórios de Geoprocessamento, Química, Saneamento e Hidráulica e equipamentos de posicionamento global (GPS).'
Contato

Coordenadoria de Meio Ambiente Coordenador:
Telefone: (79) 3711-3133
Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

RESUMO - O turismo rural inclui todas as atividades turísticas praticadas no meio não urbano, de alguma forma comprometida com a produção rural. O presente trabalho tem como objetivo analisar o turismo rural como segmento estratégico no município de Santa Luzia do Itanhi/SE com foco na diversificação turística do litoral sul de Sergipe, para tanto, foi utilizado como procedimento metodológico a diretriz política do Ministério do Turismo para roteirização turística, sétimo módulo operacional do Programa de Regionalização do Turismo. Os instrumentos de investigação utilizados foram: pesquisa bibliográfica, estudo de campo com observação direta, registros fotográficos e aplicação de questionários. Como resultado deste estudo foi estruturado um roteiro turístico descritivo, servindo como referência de análise e fomento a criação de produto turístico do segmento rural. Na perspectiva de um instrumento capaz de transformar a realidade local pelo incremento de renda com uma nova produção turística, o roteiro apresentou carências na adequação da infraestrutura básica e turística, qualificação dos serviços e envolvimento da comunidade. Acredita-se que esta análise do segmento do turismo rural atrelada a segmentos usuais como sol e praia e ecoturismo, possibilite aração de fluxo turístico para o município à medida em que valorize aspectos locais, convergindo interesses da comunidade e dos turistas com controle do uso dos recursos naturais, conservação do patrimônio histórico e cultural e, transmissão da memória coletiva local às novas gerações.

Palavra – chave: Planejamento e gestão; Roteiro; Identidade local.

1 - INTRODUÇÃO

O espaço rural brasileiro sofreu grandes transformações nas ultimas décadas, permeando questões sobre o processo de industrialização, as desigualdades sociais, o monopólio da terra no campo e a mão de obra escrava. Entre diversas mudanças na natureza e no posicionamento do homem surgiram novas formas de organização espacial, entre elas, a prática do turismo.

A segmentação da oferta turística no Brasil construída e orientada como diretriz operacional do Ministério do Turismo em 2005 inclui o Turismo Rural explicando a importância das suas características singulares e representatividade significativa na economia brasileira, de forma que  este segmento se destaca pela compatibilidade e complementariedade a outros segmentos.  Ao pensar no desenvolvimento do turismo com base num planejamento estratégico é necessário identificar um segmento turístico que norteie as propostas de ações. Desse modo o segmento rural foi tomado como referência de análise do potencial turístico do município de Santa Luzia do Itanhi no litoral sul de Sergipe.

O MTUR (2010) define Turismo Rural como:

“... o conjunto de atividades turísticas desenvolvidas no meio rural, comprometido com a produção agropecuária, agregando valor a produtos e serviços, resgatando e promovendo o patrimônio cultural e natural da comunidade”


Entre as principais atividades desenvolvidas no espaço rural do município de Santa Luzia do Itanhi estão: a criação de gado distribuída pelas antigas fazendas na era colonial, o cultivo de alimentos orgânicos e a pesca. Observa-se também a existência de fazendas coloniais datadas do século XXVII onde suas estruturas sobrevivem ao tempo, narrando a história de uma das primeiras povoações sergipanas.

O turismo no espaço rural pode se relacionar com vários segmentos do turismo – o turismo cultural, o ecoturismo, o turismo de sol e praia, o agroturismo associando-se aos agricultores familiares e demais agentes produtivos do espaço rural de maneira inovadora, buscando valorizar e preservar o patrimônio local. Nestes casos, o produtor rural passa a ser um empreendedor e prestador de serviços turísticos, podendo trabalhar diretamente na conservação do patrimônio ambiental e cultural de sua região, porém as atividades desenvolvidas no meio rural são diferenciadas, a tradicional agricultura, pecuária ou pesca, passam a despertar emoções e experiências raramente vividas pelos turistas.

Na região nordeste do Brasil, a ocupação do turismo foi motivada pelos recursos naturais do litoral, portanto, com equipamentos de apoio instalados ao logo das praias, enfatizando o segmento de sol e praia que acaba referendando as ações de promoção e marketing, o aporte de recursos públicos e a atração de investimentos privados. A presença mais significativa do turismo envolvido na atividade rural está nos estados da Bahia e Pernambuco onde algumas cidades utilizam o segmento como estratégia de desenvolvimento local.

Para analisar o turismo rural no município de Santa Luzia do Itanhi foi realizado inicialmente um diagnóstico da área, considerando o levantamento dos aspectos históricos, geográficos, ambientais, socioeconômicos e turísticos a fim de obter informações preliminares. Em seguida foi caracterizada a área de análise e aplicados estudos de aspectos microeconômicos como demanda e oferta turística.

O presente trabalho tem como objetivo analisar o turismo rural como segmento estratégico no município de Santa Luzia do Itanhi/SE com foco na diversificação turística do litoral sul de Sergipe e, como objetivos específicos identificar as práticas rurais existentes na região; realizar uma análise situacional do turismo no município; analisar o perfil da demanda turística de Santa Luzia  do Itanhi; e, fomentar a elaboração de roteiros turísticos cumprindo as etapas básicas de roteirização turística do Ministério do Turismo na organização do roteiro descritivo.

4-  MATERIAL E MÉTODOS

Os instrumentos de investigação utilizados foram: pesquisa bibliográfica, estudo de campo com observação direta, registros fotográficos  e aplicação de questionários.


Foram aplicados 60 (sessenta) questionários com turistas e excursionistas que pessoas que frequentam os pontos mais visitados na sede do município e no povoado Crasto com a finalidade de identificar o perfil do turista.

As diretrizes políticas do Ministério do Turismo para roteirização turística prevista  no sétimo módulo operacional do Programa de Regionalização do Turismo - etapas básicas da roteirização turística, foram utilizadas como técnica de pesquisa para nortear a proposta de roteiro descritivo que fomentará a elaboração de novos roteiros.

Os órgãos e instituições responsáveis pelo desenvolvimento da atividade turística no país, estados e municípios, foram observados nas condições de gestores do espaço público, evidenciando a necessidade de diálogo entre os quatro agentes econômicos do turismo (governo, empresas, consumidores turistas, comunidade local) quando o objetivo é desenvolver ações sustentáveis capazes de gerar benefícios mútuos.

O planejamento das áreas turísticas é de responsabilidade do poder público nas três esferas de governo: federação, estados e municípios, e deve preferencialmente reunir interesses do setor privados com as empresas que integram a oferta de equipamentos turísticos, os turistas que apresentam seus interesses em pesquisa de perfil e comportamento de consumo e a comunidade local que deve estar inserida na oferta turística principalmente quando a oferta pretende se  relacionar com os meios de produção local que é o caso do turismo rural. Dessa forma, percebe-se a ligação direta entres esses agentes econômicos do turismo e a necessidade de decisão coletiva sobre a estratégia turística, pressupondo a criação de uma governança participativa como metodologia de monitoramento e controle do planejamento do destino turístico.

5 – RESULTADOS E DISCUSÕES

A maioria dos atrativos no municipio de Santa Luzia estão localizados em áreas rurais, assim como a concentração da maior parte da população e as práticas cotidianas ligadas a ruralidade, podendo gerar uma relação de motivação desses elementos para prática de turismo. Desta forma, o turismo traz em si características agregadoras e distributivas, com integração dos equipamentos, serviços e infraestrutura de apoio e as ruralidades conferem identidade a região, promovendo atratividade a diferentes públicos.

Inicialmente foi realizado um diagnóstico da área, fazendo um levantamento dos aspectos históricos, geográficos, ambientais, socioeconômicos e turísticos afim de ter um panorama do instrumento de trabalho. Logo após foi realizada uma descrição para identificação da localização do projeto no município em estudo e através do diagnóstico que já tinha sido feito posteriormente  como também análises da demanda e oferta existente no município de Santa Luzia do Itanhi.


Segundo Beni (2007), oferta turística é “o conjunto de recursos naturais e culturais que, em sua essência, constituem a matéria prima da atividade turística porque, na realidade, são esses recursos que provocam a afluência de turistas.” No que diz respeito a oferta turística de Santa Luzia do Itanhi foi realizado um levantamento dos atrativos turísticos no município, como também uma analise as condições estruturais e vias de acesso aos mesmos. O município é contemplado por sete antigos engenhos coloniais (Engenho São Felix, Castelo, Antas, São José, Ferro, Cedro e Priapu) e um alambique artesanal onde é produzida a cachaça Reserva do Barão. Dos sete antigos engenhos presentes no território de Santa Luzia, somente três possuem estrutura conservada e capaz de receber visitantes, como também as vias de acesso aos mesmos estão em condições favoráveis para o trafego de pessoas e veículos, os demais não possui condições para receber visitantes.

A demanda turística é formada por um conjunto de consumidores, ou potenciais consumidores, de bens e serviços turísticos. Demanda turística é o conjunto de turistas, que de forma individual ou coletiva, estão motivados a consumir uma série de produtos ou serviços turísticos com o objetivo de cobrir suas necessidades de descanso, recreação, entretenimento e cultura em seu período de férias (DIAS, 2005).

O conhecimento do perfil do turista é o primeiro passo para segmentar o mercado turístico, como o turismo rural já é um segmento entende-se que delinear este perfil possibilita a projeção estratégica do planejamento do produto turístico (GOVEIA; TCHMOLO; TROG, 2014). Para identificar a demanda, foram aplicados 60 questionários no Povoado Crasto e no centro da cidade de Santa Luzia. Dentre os principais resultados obtidos foram que a cidade de origem dos visitantes, 56% apontaram a capital Aracaju/SE de origem principal, com 28% o município vizinho, a cidade de Estância, 8% de Salvador/BA e os 8% restantes foram de vários municípios do interior do estado de Sergipe, a exemplo de Laranjeiras, Arauá, Indiaroba e dentre outros.

De acordo com os questionários aplicados na região, os turistas frequentadores em pontos de atração de fluxo turístico no município de Santa Luzia do Itanhi são de maneira geral: mulheres e homens, com faixa etária entre 40 a 60 anos – adultos (a), casados (a), com ensino superior incompleto, com renda superior a cinco salários mínimos, provenientes da capital Aracaju/SE, possuindo automóvel próprio para o seu deslocamento até Santa Luzia do Itanhi, costumam viajar com a família e amigos e são atraídos pela tranquilidade do municipio em estudo e a oportunidade de descansar. Com esses dados foi possível identificar as pessoas que circulam na localidade e  trazer discussões sobre a importância de dinamizar o municipio através do fomento de atividades ligadas ao segmento de turismo rural.

Nota-se que os turistas/excursionistas se deslocam de municípios próximos devido ao tempo de  viagem  e  comodidade  de  ir  e  voltar  no  mesmo  dia.  Outro  ponto  foi  que  a  maioria    dos


entrevistados citaram ter conhecimento da existência de antigos engenhos coloniais no território de Santa Luiza do Itanhi e esboçaram interesse em conhecê-los. Relevante também destacar que o fluxo turístico concentrado no povoado estanciano de Porto Nangola que dá acesso ao Rio Piauí para travessia até o povoado baiano de Mangue Seco, tem incipiente ou nenhuma relação com Santa Luzia do Itanhi, possivelmente pela falta de organização da oferta local e de negociação com operadores que atuam naquela região.

Para a composição de um roteiro descritivo que pode fomentar a criação de outros roteiros como fator dinamizador da região destacam-se os seguintes pontos: definição do nome, viabilidade comercial e demandas de organização da oferta. O nome do roteiro deu-se por toda história de colonização de Sergipe e como as áreas do litoral teve a cana de açúcar como principal insumo de renda e trabalho para aquela localidade, por isso “Circuito do Açúcar”, fazendo referência a colonização do sul do estado de Sergipe e dos grandes engenhos situados no município.

A perspectiva do roteiro descritivo se associa ao fomento de novos produtos e diversificação da oferta turística do litoral sul de Sergipe por meio do segmento de Turismo rural, visto que o turismo de sol e praia é um segmento consolidado na região, mas carente de rejuvenescimento e inclusão de municípios com potencial de atratividade como o caso de Santa Luzia que pode ser capaz de alterar as opções de oferta e culminar no aumento da permanência do turista.

A análise dos resultados da pesquisa serviu para traçar algumas soluções para os problemas encontrados no diagnóstico e explicar a importância do município para o cenário turístico estadual. Além disso, foi analisada a atividade turística como estratégia de desenvolvimento local através do segmento de turismo rural dando suporte ao segmento de sol e praia já praticado na região do litoral sul sergipano.

As atividades do meio rural foram tratadas não apenas como um fator estratégico para  região, mas como uma reserva de mercado turístico, um potencial pouco trabalhado e muito presente, sendo um instrumento capaz de transformar a realidade da comunidade, incrementando a renda através da atividade turística.

No que diz respeito as atividades rurais presentes em Santa Luzia, as criações da pecuária no município destacam-se os bovinos com um rebanho efetivo de 6.537 por cabeça. O efetivo de rebanhos por asininos chega a 76 por cabeça, os muares alcançam 204 por cabeça, os rebanhos de suínos chegam a 223 por cabeça, os ovinos são 577 por cabeças e as aves são aproximadamente 26 mil cabeças. No município possui 68 unidades agropecuárias em funcionamentos observando a condição do produtor entre assentados que possuem titulação definida (IBGE, 2015).

Já os principais produtos da agricultura no municipio são: o coco, a laranja, a mandioca, o maracujá e a manga. Os rebanhos têm como destaque a pecuária bovina de corte, ovinos e suínos,


enquanto na avicultura sobressaem os galináceos. Há também outra atividade voltada para o âmbito cultural que é a pesca artesanal (IBGE, 2015).

A localização do município de Santa Luzia do Itanhi se torna estratégica para o desenvolvimento de ações de interesse turístico. Possui proximidade com os municípios de Estância, Indiaroba e o norte do estado da Bahia, e oferece atividades diferenciadas em outros segmentos como sol e praia e ecoturismo, portanto, capaz de atrair fluxo de origem da Bahia e o fluxo vindo de Aracaju, capital de Sergipe, onde está o único aeroporto do estado e onde se originas as operações de serviços receptivo que distribuem o fluxo turístico pelo interior do Estado. Pelas condições arquitetônicas, pelos antigos engenho e condições culturais, pelas práticas rurais, o município pode atrair um publico que procura experiências inovadoras e conhecimento mutuo, diferentes da vida rotineira de grandes centros urbanos.

Durante a realização desta pesquisa foi detectado que a oferta turística de Santa Luzia necessita de adequações em área de uso público e equipamentos privados, para viabilizar novos roteiros, desse modo, foram propostas ações nos seguintes eixos: planejamento e gestão, equipamentos e serviços turísticos e atrativos turísticos. Entre eles destacam-se: Criação do Comitê Gestor discussivo e deliberativo sobre o turismo no município; Criação de logomarca do destino turístico; Definição de parcerias com órgãos e empresas para a qualificação da mão de obra; Desenvolvimento de atividades educativas com a comunidades sobre a produção turística e o protagonismo local; Construção do centro de atendimento ao turista; Adequação urbanística e esgotamento sanitário da Orla do Crasto; Reforma do atracadouro de pesca; Construção do atracadouro de turistas; Organização das cooperativas de serviços de barqueiro e lancheiro, entre outros. Finalmente, o monitoramento destas e outras ações dar-se-á por meio do comitê gestor formado por lideres e representantes comunitários, empresários locais e representantes do poder público onde a gestão e execução de roteiros possa ser amplamente discutida e providenciada.  Como consequência, os roteiros se tornariam autosustentaveis e integrariam a oferta para diversificação da região do litoral sul sergipano, sem excluir sua histórica exploração do turismo de sol e praia.

O roteiro descritivo em Santa Luzia do Itanhi terá atividades desenvolvidas em dois dias e os turistas poderão se instalar nos meios de hospedagem localizados no Povoado Crasto ou  fazer visitas diurnas com retorno a Aracaju. Na manhã do primeiro dia é aproveitado o cotidiano do povoado Crasto com atividades opcionais de pesca e artesanato para serem realizadas junto à comunidade somadas aos passeios de barco no rio Piauí, banho no rio, visita as ruinas da Igreja Senhor do Bomfim e do antigo trapiche. À tarde é realizada uma trilha ecológica na mata do Crasto com um condutor local acompanhado pelo guia de turismo, a trilha terá a duração de uma hora e


meia no intuito de conhecer a fauna e a flora existentes no povoado. Noite livre com opcional de luau à beira rio. No segundo dia serão visitados os engenhos-fazendas São Feliz, Castelo e Priapu com a Cachaçaria Reserva do Barão, a casa do artesão e o santuário de Santa Luzia.

O roteiro turístico descritivo desenhado a partir dos elementos de análise do turismo rural, é fruto de observações da realidade que o município de Santa Luzia do Itanhi permite oferecer no momento, sendo propostas atividades dentro do território do município, mas recomenda-se que sejam integradas aos municípios vizinhos de Estância e Indiaroba para não incorrer no equívoco da oferta atual com destinos trabalhando isoladamente.

13 - CONCLUSÕES

O turismo rural é um instrumento de desenvolvimento e alternativa de renda para pessoas que vivem dos meios de produção rural, surge como nova ruralidade, alternativa de produção no meio rural, capaz de contribuir para melhorar a qualidade de vida dos residentes. Esta atividade visa oportunizar ao turista uma experiência única de contato com o modo de vida local.

A atividade turística pode provocar mudanças extremas em uma localidade como aumento da renda, fortalecimento da identidade cultural, divulgação do destino, de forma positiva, todavia, de forma negativa pode provocar aculturação, aumento do custo de vida, desigualdade econômica e outros. Nesta perspectiva o segmento de turismo rural se apresenta como menos agressivo  a destinos de rica oferta de recursos naturais e culturais, dado que atrai público específico, interessado mais em experiência e menos em reproduzir modelos básicos de viagens.

Para operacionalização do turismo faz-se necessária a existência de uma  infraestrutura básica e de apoio com sistema de informação e comunicação, segurança, saneamento básico, sinalização e vias de acesso, equipamentos turísticos, entre outros e estrutura voltada para atender as necessidades do visitante, tais como comércio, restaurantes, bancos, etc. (SILVA, 2015). Nos aspectos relacionados as questões sociais, econômicas e culturais, o município necessita de intervenções publicas para a adequação de alguns pontos com aplicação de ações eficientes e eficazes que visem as melhorias relacionadas ao bem estar da população e consequentemente dos visitantes.

O roteiro circuito do açúcar, resultado desta análise, tem possibilidade de ser desenvolvido por se tratar de um roteiro de dois dias com pernoite no lugar e com capacidade também de visitas durante o dia com retorno a capital Aracaju, responsável pela concentração do fluxo turístico em Sergipe. O roteiro inclui serviços básicos para a sua concretização mas a infraestrutura do  município requer ajustes em alguns equipamentos e serviços como: capacitação e qualificação da mão de obra e obras públicas de infraestrutura. Algumas dessas obras já estão em andamento no município  e  outras  com  previsão  para  iniciação  ainda  em  2016  por  meio  do  Programa     de


Desenvolvimento do Turismo – PRODETUR, cujo aporte de recurso financeiro inclina para viabilização comercial do roteiro.

Verifica-se que os objetivos propostos inicialmente foram alcançados no decorrer do  trabalho a partir dos instrumentos de pesquisa utilizados, chegando ao resultado de análise do segmento de turismo rural e proposta de um roteiro turístico descritivo. As principais limitações desta pesquisa giraram em torno da dificuldade de obter permissão de acesso aos antigos engenhos presentes no município e o acesso a alguns representantes do setor publico municipal para obtenção de informações adicionais. Por outro lado, a receptividade da comunidade em passar as informações necessárias foram essenciais para a concretização desta pesquisa.

O roteiro Circuito do açúcar é um elemento de apoio a produtos já consolidados no sul do estado de Sergipe ligados ao segmento de turismo de sol e praia, configurando-se em alternativa para diversificação da oferta turística onde as características contidas no roteiro proposto divergem do padrão dos roteiros comercializados no Sul do estado de Sergipe e são capazes de atrair um publico alvo interessado em obter experiências diferenciadas do seu dia a dia. Reforça-se novamente a importância de compatibilidade de planejamento e ações entre os quatro agentes econômicos citados no diagnóstico (Governo, empresas, consumidores turistas e comunidade local) como forma de melhorar a organização do setor com foco em segmentos específicos.

Acredita-se que a proposta de um roteiro no segmento do turismo rural exposta  neste trabalho e atrelada a produtos turísticos consolidados na região traga benefícios para a comunidade local, com a possibilidade do seu envolvimento com elementos que proporcionarão o encontro entre a cultura e identidade luziense e o turista que vem a Sergipe, fortalecendo a preservação e conservação do patrimônio histórico e cultural e, consequentemente, possibilitando a transmissão da memória coletiva local às novas gerações, como também, oferecendo novas experiências aos turistas e nova forma de produzir riqueza na comunidade local.

REFERÊNCIAS

BENI, Mario Carlos. Analise Estrutural do Turismo. 12. Ed. São Paulo: Senac, 2007. DENCKER, A. F. M. Pesquisa em turismo: Planejamento, métodos e técnicas. São Paulo: Futura, 1998.

DIAS, Reinaldo. Introdução ao Turismo. São Paulo: Atlas, 2005.

GOVEIA. E. F; TCHMOLO, M. L; TROG, S. F. Turismo no Meio rural: Um Estudo da Demanda na Propriedade Chácara Sant’ana no Município de Campo Magro/PR. Fórum internacional de turismo em iguassu.

Segmentação do turismo e o mercado. / Ministério do Turismo, Secretaria Nacional de


Políticas de Turismo, Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico, Coordenação Geral de Segmentação. – Brasília: Ministério do Turismo, 2010.

Disponível                                                                     em                                                                     : http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/S egmentaxo_do_Mercado_Versxo_Final_IMPRESSxO_.pdf. Acessado em 25 de outubro de 2015.

SILVA, J.N.R. Turismo Cultural: Analises das potencialidades do patrimônio histórico de Messejana Ceará- Proposta de um Roteiro Interpretativo. 2015, 146 Folhas. Dissertação (Mestrado profissional em Gestão de Negócios e Tecnologia) – Universidade Estadual do Ceará; Fortaleza, 2015.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página